Riscos, como abordar na ISO 9001-2015

O pensamento baseado em riscos permeia toda a norma ISO 9001:2015. De acordo com este conceito, uma empresa precisa identificar os riscos e oportunidades associados às suas operações e estabelecer medidas para reduzir os riscos de produzir produtos e serviços não conformes: A norma não requer uma abordagem formal de gestão de riscos; para isso existe uma outra norma, a ISO 31000, mas sim, instituir o “pensamento e tomada de decisões”, levando-se em consideração os riscos associados; Assim, você pode utilizar várias técnicas de análise de risco, qualitativas ou quantitativas, dependendo da complexidade de suas operações e do contexto onde seu negócio está inserindo; um banco, por exemplo, utiliza métodos complexos para avaliação de risco de crédito, tentando prever o comportamento de consumo de seus clientes; uma pequena empresa de usinagem, pode usar uma abordagem qualitativa simples, avaliando sua operação e verificando eventuais atividades e atitudes que podem gerar não conformidades.

Riscos e a ISO 9000

Para você que está implantando a ISO 9001:2015 ou está em fase de migração da ISO 9001-2008 para a ISO 9001:2015, listamos alguns fatores que podem ser considerados quando estiver realizando sua análise de risco. É claro que é uma lista que não pretende esgotar os fatores, mas se você leva-los em consideração, terá coberto, certamente um grande número!

1)  Riscos Associados ao ambiente externo:

  • Alteração na legislação
  • Barreiras ( necessidades de certificações)
  • Acidentes naturais
  • Crise Econômica
  • Dificuldade de adotar novas tecnologias
  • Aumento do número de concorrentes
  • Reputação
  • Produtos substitutos

2) Riscos Relacionados aos processos

  • Falta de produtividade
  • Falta de qualidade
  • Dificuldade em colocação de novos produtos no mercado
  • Ritmo inferior às demais empresas do segmento no uso de novas tecnologias
  • Inexistência de especificações e regras claras sobre os processos

3) Riscos de demanda

  • Demanda muito volátil
  • Informações fornecidas pelos clientes insuficientes
  • Inabilidade para tratar flutuações na demanda
  • Confiabilidade de entrega
  • Rapidez na entrega
  • Logistica de entrega
  • Roubo de carga

4) Riscos relacionados a suprimentos

  • Baixa capacidade dos fornecedores em atender os pedidos
  • Baixa Qualidade dos fornecedores
  • Falência de fornecedores
  • Fornecedor único

5) Riscos relacionados aos recursos

  • Falta de definição de funções e responsabilidades para os empregados
  • Falta de Competência dos empregados
  • Inexistência de processo de desenvolvimento profissional
  • Desmotivação de empregados
  • Equipamentos inadequados
  • Falta de manutenção de equipamentos
  • Equipamentos em quantidade insuficiente para a demanda

E não se esqueça, avaliar risco em um Sistema de Gestão da Qualidade ISO 90001-2015 não é para ser feito uma única vêz por ocasião do planejamento; sempre que alguma mudança for proposta, o risco precisa ser considerado.

Está precisando de uma consultoria que te ajude na implantação da ISO 9000?

Venha para a SGQ!

Compartilhe em suas redes...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedInEmail this to someone

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *